sábado, 11 de dezembro de 2010

Eu


Eu

Mais um dia de noite, mais uma lua apreciada, como podemos sentir o que não podemos tocar? A perfeição esta dentro e não fora, entendeu? A perfeição esta no brilho do sol que queima seu rosto e no vento que ameniza seu calor. Porque aprendemos a rezar ou orar tão cedo? Porque o hino nacional não faz nenhum sentido para mim? Sou tão confuso, mas também adoro confundir! A sociedade não se importa com você, e você na verdade nem se importa com a sociedade também... Sou como um cão raivoso às vezes, que nem se quer tem medo de ser sacrificado até o ultimo momento de sua vida miserável, ainda tenta morder quem se aproxima. Mas às vezes sou tão doce como açúcar... Meu sorriso fica escancarado em minha boca cheia de dentes... Mas quando estou sozinho fico sombrio e analista, olhos os muros pixados e tento decifrar o que está escrito... Vejo os desenhos de ódio e revolta, mas muito deles também pedem paz e definem estilos e culturas... Conheço pessoas boas e más. Conheço o caminho certo e o errado ou vice e versa, ando pelo caminho certo 30 dias e um dia do mês seguinte me autodestruo... Para pessoas que são muito religiosas as que são sinceramente religiosas, “que são muito poucas” com certeza falariam que eu iria me encontrar com o famoso anjo “ Lúcifer” falem o que quiserem, mas sigo a vida como eu quero... Que me julgue quem tem direito e poder... Não apenas quem tem uma opinião vaga, de mente medíocre e maldosa... Se eu sou mau? Sabe que não sei?

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Escultura



Da argila criei uma escultura
Criei tua face e teu corpo
Com desejo e paixão
Criei-te em escultura simples e pura.
O desejo de te ter é grande
Expande-se por minha alma
Ame-me, usa-me, mas não abuse de mim
Curta-me, sou azedo como acerola verde
Mas posso ser doce como cana de açúcar
Tu me disseste-te, amo-te! E eu te disse eu também!
Da escultura se tornou viva, e com a vida tu se tornaste parte da minha...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

E ponto...

O quanto quero? Não é muito que espero!
O tempo passa, o relógio estraga
Perco-me em horas, não sou pontual.
Cheguei atrasado, meu compromisso com alma foi desleixado
Atrasado cheguei, minha alma se desfez
Queimou porque meus olhos não se fecharam
Todos os sonhos foram despedaçados
Sorri meio sem jeito, deitei e tentei dormir
Meus olhos remelaram, a insônia é meu fardo?
Louco inconseqüente ciente dos fatos, eu até que disfarço
Mas não sorrio atoa, estou ciente dos altos e baixos.
Simplesmente sou ciente dos atos
Espero a demora do amor cantando o som dos pássaros
Em assovios desafinados... 

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Reflexo e reflexão

Contido no que não há esperança, existe um sentimento de coragem e amor que nos faz caminhar sobre as pedras mais pontiagudas sem sentir dor, diante a imensidão do sol sonhamos com a lua e o glorioso e novo amanhecer.
Voamos alto sem sair do chão, planamos sobre os sonhos dos que sempre nos rodeiam, boa parte das vezes com carinho e amor, também carregamos corações que não são os nossos, de pessoas que poderíamos dar a vida em troca da felicidade da mesma. O egoísmo faz parte de nos seres humanos, mas é graças à vida que levamos nesse mundo tão atormentado pelo ódio das guerras e preconceitos de todos os tipos, que somos tão vulneráveis a esses sentimentos.
A guerra nunca trará a paz, jamais derramar sangue trará a salvação, espero que um dia todos raciocinem, mas não só raciocinar sobre a verdadeira paz, raciocinar e idealizar a verdadeira paz através da bondade de cada um de nós. Mas pense comigo? Talvez eu esteja falando da boca para fora... Talvez seja um pensamento critico que eu mesmo não cumpra, mas penso todos os dias nisso, às vezes sou infectado pelos sentimentos de quem esta ao meu lado, isso não é bom... Se você está sofrendo eu sofro junto sem dizer uma palavra a ti, se você esta feliz, eu sorrio sem mostrar os dentes e sem nenhuma expressão facial; “rígido como uma pedra”.
Espalho-me pelo vento como poeira em um campinho de areia no mês de agosto... Tudo que penso não é um pensamento só, às vezes estou ai, às vezes estou aqui. Saio do corpo só com a força do pensamento para descobrir o que ha dentro de mim ai fora, retorno para dentro de mim mais forte, mais louco e curioso pelo sentido da vida...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

E tudo fica bem...

Sobre a forma do deformado foi visto a face da dor e da morte, sentimento de amor em breves loucuras de louvores, medo constante e intenso...  Medo de perder o que a vida sempre nos tira, ganhamos sorrisos falsos de noite e de dia. Amamos amores eternos, mas também amamos amores que não são tão sinceros, eu confuso me confundo com pensamentos nem tão sábios, guardados em um baú em meio o escuro de meus olhos fechados. Conforme o tempo passa a vida me arrasta e eu me arrasto a ela, se definindo piedoso e vergonhoso, mas persuasivo e flexível, me adapto aos rumores das guerras espirituais e santas, vivo entre Deus e satanás, vivo em meio às ondas e rochas sem ao menos ser ferido fisicamente, mas sofro tanto mentalmente... Compartilhar esse peso é tão difícil, é difícil pensar que existe alguém tão compreensível ao ponto de entender a psicologia autônoma de um pensador que nem é ao menos conhecido. Difícil é explicar as decisões que decido, as decisões que acabam sempre no final me iludindo, sinto que meu sonho irá se realizar em breve, também sinto que sou diferente de mim mesmo quando escrevo. Sinto que minha vida faz sentido quando pego meu copo de caipirinha, sento com papel e caneta nas mãos, guiado pelo brilho das estrelas, inspirado com o sentimento puro da lua cheia, acendo meu cigarro e escrevo meus simples pensamentos direcionados sempre contra o vento, pois quanto mais devagar eles se espalharem, mas perto chego de ser compreendido... Tudo é transitório... A vida é a vida e a morte é a morte, mas a escrita se eternizara em crianças crescidas, cartas não lidas não fazem sentido, não inspiram e nem respiram, leia, pense, se torne o que você sempre quis ser usando o alfabeto nobre, simples pensamentos são os que calejam meus dedos... A continuação é a conseqüência do que ainda não terminou, mesmo quando meu pensamento seguinte nem rimou, se você cair, se levante! Pois ate as folhas das arvores caem no outono, mas retornam na próxima primavera... 

domingo, 21 de novembro de 2010

...

Caminhei em passos curtos para chegar aonde o destino não quis me levar, quando cheguei aonde queria chegar nem deu tempo para descansar. Fui indo e indo ate onde o destino nunca mais poderia me encontrar, andei pelas sombras das trevas, mas vivia sonhando com o paraíso e o raio de sol de verão. Minhas lagrimas eram de sangue água e sal; traduzindo era o amor a felicidade e o ódio de quem nem me odeia...  Derramei muitas lagrimas, como se derramasse água em peneira, e tinham me dito que eu era louco por tentar achar uma razão para viver, uma razão obvia e especifica para se viver, algo verdadeiro e revolucionário para se crer.
Razões de um poeta louco para definir verdadeiramente quanto tempo o tempo tem...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010


“Enila”

Venha comigo e desafie o destino, vamos fazer o tempo parar de correr, voltar o ponteiro de o relógio para criar luz na escuridão e fazer amanhecer.
Minhas mãos são as suas agora, somos um único ser, você está dentro de mim e estou dentro de você, toquei minha face buscando a sua, pense agora junto comigo a mesma vontade que estou sentindo, e um beijo irá de acontecer...
Dois amantes eternos fazendo amor de o amanhecer ao anoitecer, criando desejos únicos que se tornam puros, pensamentos duplos de um só ser, duas almas unidas pelo o amor de um único ver. Vejo seus olhos por dentro dos meus, sinto seus lábios e o gosto do meu próprio beijo, pois uso meu próprio tato para buscar o seu, senti tuas mãos esparramando meus cabelos, descendo em minha nuca...
Senti seu corpo todo arrepiado e minhas mãos geladas tocando as suas, em meus pensamentos eu me perco e nos seus pensamentos eu me encontro, estamos em encontro total, como o estagio final da lua e o sol se amando por minutos. Tão intenso e profundo é esse sentimento verdadeiro, mas ao mesmo tempo confuso, te tenho e você me tem, quero ter por todo meu viver, você me terás até o dia de minha morte acontecer, subiremos junto ou desceremos juntos? Não fique confusa! É somente um modo louco que eu achei, para poder explicar quando chegar o dia de o começo do fim acontecer....

sábado, 23 de outubro de 2010

O presente

Em belos poemas te descrevi, em vários rascunhos te perdi. Com o coração partido eu parti, em busca do amor sem desistir; escrevi vários livros falando sobre ti, falei de animais e da natureza, mas na verdade sempre em busca de sua pureza e inocência. A verdade apareceu em uma noite de lua cheia, e encheu meus olhos de felicidade, que transbordaram de lágrimas, a esperança me deu boa noite, e eu sonhei com que eu não acreditava. Sonhei com a felicidade de um conto de fadas, mais emotivo do que nunca a cada dia eu me tornava, eu confesso; estou embrulhado em uma caixa de presente para ti aguardando o dia que tu vai abrir o presente, ansioso para ver a reação de seu rosto quando eu sair da caixa e explodir de amor para ti, quero ver se tu vai me abraçar e dizer que me amas, ou se arrependerás de abrir, virar as costas e fugir de mim...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Minha fada

Entre os vales de lírios encontrei sua beleza, formoso caminhar em meio às areias.
Pegadas de amor e solidão despertam tristezas, sigo-te pelo rastro, rastro de sua destreza. Distinta forma de agir e natural como suco de açaí, vamos separados até onde Deus nos deixar ir. Queima forte o desejo de te sentir aqui bem perto de mim, deitado em um belo jardim admirando as estrelas até o dia nos dar bom dia, “como se fosse o ultimo dia”. Queria poder estar junto e misturado, com nossos corpos suados de amor.
Não consigo te alcançar, será que você pode me sentir? Se puder; pare de caminhar, fique onde você esta, esperando eu chegar para que em meus braços eu possa te tomar me embebedar em seus beijos e em seu corpo poder tocar.
Não sei se esta disposta a amar, mas tente, se esforce, garanto que não se arrependerás , vamos despertar juntos aos beijos até o dia de nossas mortes chegarem.
Nesse momento estou vendo um arco íris, será que no final dele nós podemos ser felizes? Não acredito mais em conto de fadas, mas se existir quero que não seja um conto, quero que tu sejas minha fada, a fada que desejo tanto em tocar e ama-la...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

“Eu em desabafo”.

Dentre os enormes fluxos de pensamentos criados a cada segundo em minha mente, 70% é feito de memórias, historias, reservo muito tempo a lembranças e sentimentos.
Acho que por isso sofro tanto, mesmo ao redor de pessoas que amo sinto-me tão só e incompreensível, às vezes apago, mas não caiu e nem desmaio, acordo sem dormir com um sorriso leve em meu próprio rosto. É confuso; “mas é assim que eu funciono”.
É difícil tratar um ser humano como uma maquina, mas no fim as leis são ditas e julgadas sem a nossa opinião... Temos que seguir, se não seguirmos ficamos para trás.
Criado de forma simples, tratado como ser humano, sendo criado com o máximo de amor possível independentemente da situação, vivia sem camisa e sujo de tanto jogar futebol no campinho em frente de casa. Nunca nem imaginava o quanto a vida é ouriçada, o quanto ela te cobra e é “braba” [risos]. Nunca gostei de estudar, nunca gostei de matemática, mas sempre vivia pensando, nunca contei para ninguém isso; “mais quanto maior é o pensamento e o pensador, mas se derramam as lágrimas”. Sentimental demais para um homem eu sempre me julgava, hoje nem ligo mais, só sei que isso simplesmente me satisfaz. Quebrei tantas leis desde pequeno, e nem sabia, pois não tinha muito conhecimento e ainda não tenho... Fiz tantas coisas boas e más, coisas que acho perdoáveis e coisas que me assombram até hoje. Um dia falarei pessoalmente com Deus mesmo se eu for para o “inferno”, falarei o quanto fui grato por ele ter me deixado vivo um bom tempo, e ter aproveitado tudo o que há de bom no mundo e também tudo o que é de mal e errado. A velha frase que levei ao talo uma época da minha vida “viva muito e morra jovem” faça como quiser, só não mate e não roube de quem não tem o que roubar, seja um herói, seja aquele seu ou sua boneca preferida, aquela que sempre vivia feliz e brincando, seja o que você quiser, a vida é sua...


Tenho 23 anos, vivi muito em tão pouco tempo, mas tem tanta coisa que tenho vontade de experimentar, vou morrer querendo mais e mais, simplesmente conhecendo a cada dia um novo horizonte de amor e paz....

Conduza-me.

Conduza-me pelos vales da imperfeição, mostre o valor e sabor da paixão.
Deslize suas mãos pelo meu corpo, sinta a excitação, arrepia-se, não resista ao tesão.
Abraçados vamos tão longe como um único corpo, me use, me torne, me contorne com as pontas de seus dedos. Vamos lá, pare de sentir vergonha de si mesmo, deduza quem sou, realize seu desejo, sou quem você quer que eu seja, sou somente o que você deseja.
Entre beijos e toques, vamos descobrir o sabor e malicia de sermos humanos, vamos seguir o ciclo dos pecados, ser felizes independentemente dos fatos, vamos fazer de nossos atos os mais belos passos, passos que vamos dar em sincronia...
Um único corpo, uma única alma, o desejo de estar juntos supera qualquer gloria.
Iremos criar sentimento de pureza no paraíso dos pecados, onde anjos cantam os amores e desencantam os desalmados, onde fazem sentir os sentimentos de laços.

Desculpe não sou igual a ti minha amada, você falou tantas coisas bonitas, mas ao contrario de você não tenho tanta coragem, eu falo, falo, e não faço nada sem você me empurrar. Baralhada minha mente fica quando sinto seus dedos em meus lábios finos, e quando sinto a parte de baixo de seus lábios tocarem os meus, me arrepio por completo, agora sei o que é realmente desejo, mas tenho medo da paixão.
Um medroso apaixonado eu sou, se não fosse você não saberia o sabor da emoção, minhas mãos nunca ficariam geladas e nunca suariam de medo do amor.
Não tenho medo de você e nem tenho medo do que você possa fazer, [risos] só sou um pouco covarde, pois tenho medo de um dia você desaparecer...

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Cemitérios de amores

Cemitérios de amores, aterrei paixões e dores
Sinto-me atoleimado, desisti em certos átimos
Às vezes atípico, mas ainda sou atingível
Conserto-me, bato com tudo no muro do mundo
Sou um louco, sou o maior bobo atinado; “fato”.

Reflita

Não á força que canse a vontade de ler e escrever, não á preguiça que não faça você folhear a folha de um livro apenas molhando a ponta de seu dedo, com um pouco de saliva. Compreenda-me para ser compreendido, me estude para poder ser estudado, chegue ao final de felizes para sempre para viver sorrindo. Desista de tudo e acorde sonhando com um belo futuro, cansei de ouvir sobre guerras que proclamam a paz, sangue derramado de um vazo de pesadelos, criados de sonhos eternizados em corações sem maldades, sangue azul, sonhos azuis, céus em chamas.... Tudo que destrói para se construir, realmente é um bom fato? Não sei! Mas te garanto tenho um bom olfato e muito apurado, para identificar os que não são sinceros e que te acham um simples fardo. Mas o que podemos fazer? Simples; sonhe, “viva la vida” construa o que quer que seja, mas nunca desista de ver um belo por do sol no final do dia. Sinta a magia, sinta o mundo e sua nostalgia, pare de apreciar suas políticas, siga o instinto da vida, construa uma barreira de amor, algo que realmente tenha valor... Deseje a mulher de seus sonhos, mas não pare de sonhar com ela, monte uma família, instrua-os a ser o melhor, o melhor de todos em ajudar os que precisam, se conseguíssemos realizar a nossa vontade de bondade, nosso mundo não estaria perdido, mas para dar total atenção ao mundo, precisamos ser um pouco menos egoístas...

domingo, 17 de outubro de 2010

mitos?

Vento de agosto traga-me sonhos, forme um redemoinho bem no meio do campinho de areia perto de minha casa, para que eu possa fazer um pedido para o saci perere, tenho certeza que ele vai me atender, pois já coloquei o fumo de corda para ele fumar e um litro de pinga para ele beber, cantei, cantei varias cantigas e nada dele aparecer...
Saci perere, se tu existes mesmo? Apareça em minha frente que não tenho medo de você! Eu até me acho estranho, pois todos meus amigos têm medo de ti, mas o maximo possível que eu reajo com as historias dos antigos, “é rir de você”, enfim, não consigo te temer! Mas nas historias de fazendas e nas mentes dos suburbanos jamais vão te esquecer, pois saci é contado como lenda folclórica, seu nome não passa de uma palavra simbólica! (e até que colocam medo), para concluir meu pensamento que é verdadeiro, reafirmo tudo o que disse ali em cima no texto, rimo com amor as palavras que conto depois de muito tempo de silêncio. Um amigo meu chamado Eder, (mas conhecido como Dulí) descendente de índios puros de uma aldeia chamada “Moreira” (Miranda-MS), em qual já viajei bastante com “os caras de lá”! [Risos], jura ter levado chibatadas de um saci, dizem os mais antigos; o saci castiga quem duvidar que seu nome seja um mito e que o saci se comunica através de assovios. Ouvi historias de índios que falam que a alma do saci é do mal, mas não sei quase de nada, não estudei sobre ele na internet, ou pesquisei em livros de famosos pesquisadores brasileiros de lendas folclóricas, somente ouvi testemunhos, como bem os antigos diziam; faça um pacto com o saci e terás tudo para poder ser feliz, é só deixares todos os dias um naco de fumo de corda, e um litro de pinga em qualquer poste da fazenda, para ele saborear seu cachimbo e embebedar-se com seu litro de pinga, fazendo isso conseguirá a felicidade que tanto tu cobiças... [Risos], sabe qual é a graça? Nunca aconteceu nada comigo, e sempre brinquei com lenda do saci! “Para mim? A alma do saci dever ter queimado nas queimadas desse Brasil! Na irresponsabilidade de pessoas que nunca nem pensaram no coitado sem perna, pulando em meio à mata pegando fogo”... [Risos]...
Nós humanos somos os mais desprezíveis seres, destruímos sem perceber o que nossas futuras crianças adorariam aprender e conhecer....
Desculpe-me, se eu ofendi a quem o texto leu ou a quem pensou que é culpado, ou até mesmo quem julgou a minha opinião e não acreditou que possa ser fato.
“Eu escrevi”..... [Risos]

Obs:
“Quando estou obrigatoriamente sentado, admito o quanto é bom sentir a liberdade de estar em pé”! (Ou vice e versa).


siga e descubra...

Chuva traga-me raios, e com eles os trovões para calar as vozes altas.
Para fazer os corações ingênuos perceberem sua força de transformação natural,
que transforma sentimentos de força em criatividade musical, que o estrondoso som faça romper meus tímpanos, faça-me ficar surdo, e não escutar mais os gritos de dor do mundo. Faça a bela moça escutar a canção de meu coração, faça a criança órfã achar seus pais, e que ela sempre leve o perdão como exemplo de divindade. Use a criatividade dada pela natureza e transforme tudo em musicalidade, faça todos terem delírios não de dor e nem de febre, faça sonhos se tornarem pura realidade, e que essas letras cheguem onde não há esperança e faça sentir o amor que toca, em quanto todos os que choram dançam.  Gostosa sensação de raiva me causa êxtase de amor, descobri o perdão graças à raiva em meu coração, desisti da raiva como exemplo, e decidi criar um pouco de gosto pela paixão, isso me transformou em um velho sem amor pela razão, aprendi que sofrer vale a pena, quando se é seguido às razões criadas pelo coração. Batendo as teclas e escrevendo essas letras, senti um ritmo de musica percorrendo minhas veias, formando pensamentos sinceros em frases singelas. Pare e repare, sintam o cheiro da terra molhada, calem-se diante do gotejar da chuva se dissipando entre as folhas de laranjeira, sinta o cheiro da areia vermelha de fundo de quintal, aquela que suja seus pés quando você corre descalço. Se tiver tempo experimente tomar banho de lago, catar guavira ali bem perto do pasto, pegar mangas sem precisar tacar pedras, suba até o topo pegue as mangas mais douradas, saboreie o que Deus te deu através da natureza e da sua liberdade. Seja um pouco mais humano, esqueça do que aprendeu e não siga as lógicas da realidade, mendigos também são humanos que não tiveram oportunidades, e se tiveram? as desperdiçaram por falta de amor e conselhos da sociedade, ou até mesmo da sua família. O sentimento mais difícil de ser criado, “o perdão”, hoje em dia é um mero fato, que muitas das vezes não é sincero e não passa de um sentimento desperdiçado! Mas o que causa desanimo é o animo de quem quer o mal das pessoas de bem, e que não passam de um mero peso na terra sem salvação em minha opinião. Quero saber o tão desejado sentimento em seu coração, com meus pensamentos descobrirei o sabor de ver o por do sol da janela da imperfeição, o destino é uma marca criada com ferro, fogo em brasa, que queima em quem tenta o tento de descobrir e dar um nome ao gosto da água...


“Amo tudo... Amo até a raiva e dor que percorre nas veias do mundo...”.

sábado, 16 de outubro de 2010

aprendizados...

Entre músculos e simplicidade são os que constroem,
Entre calos e suor, são os que realizam sonhos meus,
seus e de todos nós. Estou em meio deles agora, e já
tive algumas outras vezes também! [risos] estou ajudando
a construir uma barreira para evitar as inundações de umas
das principais avenidas da minha cidade (Campo Grande).
A avenida se chama (Av Presidente Ernesto Geisel), nossa
como é divertido, ficar em meio de trabalhadores divertidos
[risos], nem o sol quente desanima o animo, é uma piada atrás
da outra.Tereré com água trincando de gelada para refrescar o corpo.
O que mais me impressionou dentre tudo isso, dentre esse trabalho
Sofrido e árduo, foi a maneira de como as pessoas que trabalham
nele te tratam, é muito engraçado, e eu termino aqui esse pensamento
mandando abraços, tem uns que nem sabem ler e escrever, mais aqui vai;
“abraços á Gevanildo (conhecido como geva pela galera do ralo), a Ronaldo
quem me deu a oportunidade de aprender mais esse tipo de trabalho, ao
paraguaiode 53 anos que nasceu em Ponta Porã (Mato Grosso do Sul) [risos],
ao Emerson que também me ensinou muita coisa(ele é mais conhecido como
bugrão), ao Leandro que com apenas 15 anos já da um ralo no meio de homens,
enfim essa é minha equipe... saudosos abraços a vocês todos! E meus sinceros
parabéns pela garra e força de vontade que todos vocês tem para enfrentar sorrindo
a dor, o sol quente, e as más condições de trabalho por apenas 30 reais o dia”...[risos]
( Muito Obrigado ).

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Flor de lírio.




Você sempre me dizia que as historias de terror já não
assustavam-te mais, que sua vida só fazia sentido quando
se pegava a pensar nela, desprezáveis formas de pensar,
absurdas e constrangestes. Mas o que posso fazer? Hum;
talvez sorrir e ficar contente verdadeiramente? Não quero
te aborrecer, mas não me aborreça, pare e olhe a sua volta,
repare a beleza que te contorna! Agradeça todos os dias
por pelo menos ter um amigo,“fique até tarde e dance
comigo a bela canção da vida” explodiremos como fogos
de artifício, felicidade e nostalgia não custa nenhum sacrifício,
amo- te linda e bela flor de lírio, faz-me derramar lágrimas
com seu belo e natural instinto. Por favor, dance comigo?
Baile à dança do amor, requebre o sabor da paixão, faça-me
sentir ser humano de novo então, seu amor causará epidemia
em meu coração. Estou caído as seus pés e você não vê? Meu
medo de tudo já não me faz mais correr, estou aqui parado
esperando você escolher;  “em ir ou vir”! Sorrir ou ser infeliz?
A escolha é sua, não me fale que é medo! Isso seria mais uma
coisa absurda em minhas lembranças obscuras, tenho medo que
você me confunda, me confunda com um qualquer, “um Zé ninguém”.
Alguém que não quer seu bem. Mas pode acreditar. Eu vou muito
mais além; “vou até onde o sol nascer por você”. Meu amor
nunca descansa, somente meu corpo, minha mente focada em
você, desperta meus sonhos prisioneiros, fantasias e desejos;
“desejo de você flor de lírio”,  desejo tu como a abelha quer o pólen...
Serás imortal e minha alma, seu amor dissipara qualquer sentimento 
ruim em minha volta, o mundo gira, gira e tudo se retoma,meu sentimento
continua único por ti, sangro a dor, sinto um imenso calor, calor da vida, 
meu rosto queima quando estou em sua presença, não sei porque mas 
isso me fascina! Amo-te flor de lírio. “por toda a minha vida”.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Da vida...

Conforme a musica toca, seu olhar me esnoba.
Deusa da impureza me mostre sua beleza;
mostre-me seu lado perverso, revele sua indecência.
Salto alto e saia curta vou me divertir com uma prostituta?
Pré-julgamento é algo que é precipitado, sem conhecimento.
Deliro pelo seu corpo, suas curvas, seus esboços...

Gosto tanto de você, mas tenho vergonha de admitir para alguém.
Sinto vergonha de mim, vergonha de minha imagem no espelho,
amo-te, mas tenho medo, sinto um enorme desespero.
Falta-me ar, não consigo respirar quando te vejo, sufoco de amor,
a paixão toma conta de um covarde chorão, esse sou eu, “covarde”,
sinto vergonha de ti, mas não posso evitar a verdade.

O que vão pensar a sociedade? Um homem de bem com uma mulher da vida?
Sinto falta de amor, amor por ti minha querida, acho que é o medo que me evita!
Não chego perto de ti, por ter pessoas que me conhecem sempre perto de mim,
as fofocas começaram, mas um dia de falação, cuidarão de minha vida,
queria levar você para longe, te libertar dessa sina e também libertar a minha.
Não queria um final feliz, estaria bom somente uma noite ao lado de ti...

Sou...



Eu sou o singular e o plural
Sou o amor de fundo de quintal
Criança pobre que sonha com o natal
Sou o real e a realidade virtual

Sou a indecência e a pureza
Sou a feiúra e a beleza
Sou as folhas de outono secas
Sou o brilho da lua cheia

Um eterno admirador da lua
Da verdade nua e crua
Do por do sol beijando o mar
Da brisa do vento a me tocar

Pensador nato do amor
Eterno sofredor da dor
Criado eterno da paixão
Sou o tumulo e o caixão

Sou o amor dos anjos
Os pecados dos demônios
Sou o presente e o destino
Sou o vacilo e o instinto
Sou a lágrima e o sorriso...

sábado, 9 de outubro de 2010

liberdade de expressão!

Meus sentimentos me destroem, mas logo depois me reconstroem.
Desisto e depois insisto, corro e paro, depois penso e reparo;
Palavras simples que saem ninguém entende, quando complico ninguém compreende.
Quando finjo sentimentos ninguém percebe, quando sou sincero? Sempre há alguém que me despreze, mas como já disse não sou sábio como Albert Einstein, minha opinião não conta em nada, sou só mais uma voz em meio à multidão, criando situação;
Situações que invocam um pensamento critico, analista, às vezes até desprezível...
Dentre alguns textos que escrevi, já disse isto; “eu não ligo, só ligo para o que sinto”.
A raiva me ensinou a ser expressivo, a usar a nossa lei da constituição civil;
“A liberdade de expressão é direito constitucional, desde que não te prejudique e não te faça mal”. (By: Planet Henp) como ia dizendo falo o que penso e o que quero, pois só assim conseguirei me sentir completo, sendo sincero, sem ter a intenção de ferir niguém.
Às vezes não sei se sou muito démodé, ou se sou muito futurístico no modo de pensar,
mas eu sinto que não complico na hora de escrever, a beleza para mim está nos pensamentos, não complicarei jamais, pois não foi complicado pensar nisto;
“não foi complicado escrever o que estou sentindo”.
Amo ler leituras antigas, contemporâneas, e escritas novas, de gerações novas....
Poesia não é fácil de se fazer, mas em certo modo é tão fácil de se ver... Abro uma pagina no “google” com a busca poesia, aparecem milhões de fantasias, sonhos, tristezas e apologias, já disse isto também dentre meus textos;
 “Um brinde as almas de todos os poetas, romancistas, dramaturgos e ensaístas”
 “E mais um brinde aos leitores que não deixam morrer minha querida poesia”.
(Imortal e querida)...

Sem medo...

Hoje senti o nascer de o sol esquentar meu rosto, ontem foi um dia muito chuvoso; fiquei olhando o gotejar da chuva se dissipando aos poucos. O tempo continuou fechado, não tinha nenhum azul no céu em nenhum pequeno espaço, mesmo assim eu estava feliz com sensação de frio que trazia o vento gelado, sentado à porta de minha casa, tomando café bem quente para esquentar o corpo, pensando para animar a alma e escrever um pouco, não consegui pensar em nada, acho que estava triste, mas me sentia feliz por que estava aonde tinha que estar, mas às vezes queria tanto viajar, sumir daqui, libertar o que gosto de fazer quando ninguém olha para mim...
Acho que muitos de nós se sentimos assim todos os dias, sei que é comum, mas não consigo evitar de ser emotivo, não consigo parar de escrever o que sinto, me deixa mais feliz, evita um sofrimento sem fim, não me julgo triste, me julgo um pouco infeliz, mas não comigo e sim com as historias que há no mundo, com as tristezas causadas, vocês sabem, “com todos os absurdos que assusta os povos do mundo”.
Acredito em Deus por uma coisa só; enquanto haver paz, haverá guerra, e vice e versa.
O dia chegará e será declarada a verdadeira guerra, guerra espiritual, onde nenhum ritual combatera, onde nenhuma arma de destruição nuclear adiantara.
Esse dia irá de chegar, não sei se vou estar vivo para ver tal façanha, mas se estiver vivo até lá, minha alma suja irá de se lavar, não tenho medo de ser maltratado ou se decidido minha alma para o inferno mandar... Vou morrer feliz, um eterno pensador sem medo do fim...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Coisas da vida...


Simples coisas da vida
sempre difícil de ser vivida
Descobri o destino da minha
Ao seu lado tudo gira
Sinto uma enorme maresia
Maresia de amor e dor
Coisas da vida que se acende com o calor
Calor da alma que despreza qualquer dor
Que só consegue sentir o amor
Amor dado por mim simplesmente para te ver sorrir...

"As vezes eu"



Meu pensamento está sem direção, tudo que penso vira canção.
Canções que saem do coração, penso na vida de quem nem conheço,
saem rimas que parece que já ouvi, e que conheço faz tempo.
Cabe a quem descobrir o que se passa aqui dentro?
Eu tenho amor de sobra, mas não tem muita gente que se interessa e que me cobra, queria ter o poder de colocar anúncios no coração das pessoas, para poder gritar a raiva que sinto por dentro, talvez assim me ouçam. Um belo poema talvez chame a atenção, ou talvez uma bela canção? Quem sabe? Eu não sei, sou tão ignorante que não penso muito nisso, nossa, queria tanto poder tocar um sino anunciando a paz universal, gostaria também de poder amar menos, na verdade nem sei o porquê de eu ter tanto amor dentro de mim, sendo que cresci a maioria do tempo cultivando o ódio, aprendi muito com o ódio; aprendi com ele a dar espaço ao amor, e poder sentir o que é o verdadeiro calor, “calor da paixão”.
Quando escrevo esqueço do tempo, penso na beleza em que é estar vivo, e engraçado é que nesse exato momento;
 “tem gente se matando” fugindo da vida, com medo do medo todo o tempo. Não sei se choro ou se rolo de rir, desculpe-me, mas sinto vergonha dessa covardia sem fim. Amo a vida e vou lutar até o fim.
Decidi isso para mim aqui, decidi agora, ouve um pouco de demora, mas logo veio a difícil resposta, prefiro sofrer a vida toda vivo e não ser lembrado por ninguém, do que deixar a morte receber o gosto da vitória antecipadamente, só vou embora quando for minha hora, não vou jogar minha vida fora, “na verdade só um pouco, tomando uns goles de coca cola” [risos]...
Estou feliz agora, terminei meu pensamento em forma de canção e
na minha opinião, nesse exato momento conquistei mais uma vitória.
“Apaixonadamente dedico essa vitória a minha alma de poesia, por me evitar mais uma derrota, por fazer meus pensamentos criarem vida e pularem para fora”...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Simples aprendizados...



Caminhos escuros nos quais enxergo tudo, o mundo é complexo e confuso. Sou filho de Deus, mas sou livre para ver o mundo, e correr pelo submundo, não tenho culpa se ele me atrai mais dos que as coisas normais, “comuns”. Todos nós precisamos de liberdade, mas a liberdade não é dada, você a conquista todos os dias vivendo a vida. Um dia quando tinha 16 anos, subi em um morro com meus amigos “morro de Petrópolis” (Miranda MS pantanal), íamos acampar lá; fomos de bicicleta, levamos meninas, cobertores, cachaça, comida. Quando estávamos na entrada desse morro senti um vento de alegria que só eu senti em minha opinião, olhei para todos em minha volta, todos estavam proseando, agindo normal, como se fosse tão normal o que estávamos fazendo, saindo de casa, todos menores de idade, mentindo para as mães que íamos à casa de uns amigos passar a noite; “afinal quem nunca mentiu para  a mãe”? [risos]...
Mas enfim, na caminhada fiz vários textos em minha mente, agora não me lembro de nenhum deles, mas sei que fiz, hoje só lembro que fiz porque sempre fui pensativo, mas não tinha idéia que iria querer escrever um dia.  Voltando á historia do “morro” era só 1 km de caminhada até chegar ao topo; as meninas quase morreram de cansaço [risos], mas lá em cima “ah lá em cima”, nossa como foi divertido, era lindo demais ver as estrelas, acho que todos que foram para aquele morro naquele dia foram sorteados por Deus, nossa, caia estrelas cadentes de 2 em 2 segundos. Lindo demais a visão da cidade no horizonte a nossa frente, só pontos luminosos, a lua enorme nos olhando que parecia estar com um olhar curioso e de felicidade “parecia saber que eu estava a observando”, depois de algum tempo fizemos os preparativos para a cachaça, limão, açúcar e gelo para misturar, [risos] depois foi só felicidade! As meninas estavam cantando e dançando envolvidas pela cachaça, [novamente risos]...
Nós estávamos na parte mais alta do morro, que era em cima de uma casa que dava suporte a uma torre, perfeito era o lugar. Quando já era de madrugada, se não me engano umas 01h30min da manhã, todos “embriagados”, eu sozinho em um canto em cima da casa (mas precisamente na laje dela) sonhando com o nascer do sol, “isso agora foi sincero” nunca percebi o tão pensativo que eu era “sou ainda”, um amigo meu chegou e perguntou; o que você esta fazendo?
E eu respondi; agradecendo ao mundo por estar vivo e poder estar aqui hoje ao lado de vocês, ele se levantou e me disse; que papo de bêbado! [risos] eu continuei quieto no meu canto, e logo em seguida chegou uma amiga minha e me perguntou; porque você está triste? E eu respondi; eu não estou triste! Eu estou agradecendo a Deus por vocês estarem ao meu lado e de eu poder estar aqui hoje, ela virou seu rosto para mim e me deu um beijo no rosto, e continuou do meu lado comendo bolachinha de água e sal. Todos logo se juntaram ao meu lado e ficaram fazendo pedidos em voz alta olhando as estrelas cadentes que não paravam de cair, “dizem que se você desejar em voz alta o pedido não se realiza”, mas eles não estavam nem ai, somente queriam se sentir próximos uns dos outros. Logo os pares de meninos e meninas se formaram a menina que ficou ao meu lado, continuou a madrugada toda até ver o sol nascer escorada em meu ombro direito.  Foi umas das coisas mais lindas que já vi em toda minha vida, o nascer do sol fez o céu ficar dourado, ele nasceu por trás da minha querida cidade, que jamais vou esquecer! Aquilo foi incrível, e eu nem tinha percebido que quase sozinho tinha terminado o litro de caipirinha [risos], a menina dormindo em meu colo, meu corpo todo adormecido e doido por estar na mesma posição por horas...  
Naquele dia aprendi o valor da amizade, e ninguém humano me explicou, o mundo me fez sentir na pele, o que é perder e ganhar... Só sei que desde daquele dia eu amo todos que me amam, e amo os que não me amam por não ter opção dentro de mim...


Obs: Minha adolescência jamais esquecerei...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Eterna putaria do rock.



Todos os dias quando penso no mundo, sinto amor e ódio profundo,
Minha vida é louca e confusa, tocando acordes, melodias, vivendo o dia a dia.
Correndo atrás, querendo mais, um simples sorriso seu me satisfaz.
A natureza me conquista, me faz viver em harmonia, um dó, ré, mi, fá;
me faz sonhar, eu respiro música, em cada nota soa um amor, um ódio, um rancor.
Nunca esqueço dos amigos que me fizeram chegar até aqui, dos sonhos que nunca desisti, tenho orgulho do que vocês mesmo sem saber fizeram por mim. Meus dedos deslizando pelas cordas, em escala crescente, me faz lembrar dos meus dias de porre, muita cachaça e rock. Muitas pessoas me odiaram, até tacaram pedras por causa do escândalo da guitarra gritando [risos]... Mas vamos falar a verdade, era divertido “mano”! As rimas iam se encaixando, formando letras em arranjos criados na hora, sem nenhuma demora, só com o dom e a facilidade da habilidade sonora. Eu denominei isso como “Dom” da amizade, da loucura e imortalidade... Poesia de amor? Besteira! Nada como uma boa putaria, e um pouco de desrespeito. Falar literalmente bobeira e besteira é adorável, e é mais difícil do que fazer historinhas de amigos, amores perdidos e beijos roubados....

OBS: Dedicado a Maicon Rox (Um bom amigo).

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Balançando os pés na beira do rio, sentado em um barranco admirando as paisagens do pantanal, sou pantaneiro. Admiro a beleza e o mistério do por do sol revelando-se dentre os mangues, o som dos macacos em seus recantos sem pecados.
Afundo meus pés nas águas do barranco, sinto a argila gelada tocando meus pés.
Papel e caneta nas mãos, uma doze de cachaça ao lado que vou bicando aos poucos;
sentindo a brisa gelada do rio, poetando ao por do sol,  admirando as paisagens do meu pantanal. Criando sonhos grandes; “a tristeza passa longe”.
Escrevi vários rascunhos em forma de garranchos, minha letra não importa, e sim o sentimento com que as escrevi. Formei meu universo em formas de letras, letras que as juntei e tornaram frases, e que podem se tornar o que você quiser se puder sonhar.
Histórias de amor são tão fáceis de criar, o difícil é você sentir e desejar; “verdadeiramente amar o que se faz”.
Na calada da noite é onde o poema se torna real, onde estrelas cadentes realizam desejos, poemas criam pernas, respiram sentimentos.
Sou apenas um solitário a beira do rio embriagando linhas de sentimentos, e lá se vai meu litro de destilado curtido em fruta de guavira, ouvindo o cantar da coruja solitária que nem se da conta que me faz companhia. Nunca estarei sozinho enquanto ficar onde devo ficar, enquanto meu pantanal estiver ao meu lado me inspirando, estarei feliz da vida respirando o ar puro dos mangues, sonhando e criando sentimentos de felicidade em textos, contextos, poemas contemporâneos.
Não sou homem estudado, nem tenho mestrado em qualquer área que envolva escrita e literatura, mas aposto com qualquer um, que sou um dos seres que mais sentimentos conseguem manter dentro da mente, só de escrever isto me arrepio, e não é de frio;
“é de sentimento puro, obsceno, realístico e cheio de desejo”.
Que o amor e respeito que tenho pela poesia, leve esses pensamentos e que façam todos que não tenham capacidade de sentir e compreender o amor pela vida, sentir o forte desejo de amor, felicidade e maresia da poesia, que a brisa do meu pantanal me conforte se não me retornarem nenhum obrigado pela minha apologia...

domingo, 3 de outubro de 2010

¬¬"

Todos são poucos, poucos são muitos, tudo que toco destruo?
Vida fútil, mundo fútil, mentiras e guerras pelo mundo.
Altamente destrutivo meu pensar, sonâmbulo imundo.
Não consigo dormir e não deixo meus sonhos continuarem a fluir.
Corto-me com ventos de pensamentos insanos, nada me atormenta mais que ficar sem sono.
Eterno masoquista de pesadelos que amo, pesadelos que me trazem idéias, sonhos.
Queria saber se meu “dom” é “sentir”, se é enxergar o que os olhos não vêem;
se é se importar com quem não se importa comigo, na verdade eu nem ligo,
o importante é o que sinto, amo varias pessoas que não me amam, dou importância
para pessoas que nem ligam para meus sentimentos, mas como eu disse, eu nem ligo;
“eu só ligo para o que sinto” eu já acostumei com a dor.
Eu culpo o mundo pelo que eles sentem, mas acho engraçadíssimo porque o mundo não fez mudar o que sinto.
Aproveitando o espaço; mando um salve para todos os ignorantes que penso todos os dias [risos]...
A melhor piada do mundo esta no amor; “e de como as pessoas vêem ele.”
É mas sigo sempre em frente, sempre sonhando acordado, com os olhos ardendo, sempre abertos no meu quarto escuro.
Oh, como eu amo meu submundo, em minha lápide estará escrito;
“aqui jaz um eterno idiota” [risos.]
Mas eu como já disse, eu nem ligo, eu amo insanidade, ele é meu melhor amigo... [risos]

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

"Você"

Novamente, mente nova,
vida mentirosa, dolorosa.
Sentindo-se aborrecido,
sentindo-se envelhecido.

O tempo passa rápido.
O tempo passa sorrindo.
Mentido caprichos,
sofrendo desvios.

Alma subordinada.
Mente indesejada.
Minha mente fede;
“estrume de vaca”.

Insano senhor do horror.
Mente de amor, belo destruidor.
Formo-me de lagrimas e me derramo em cascatas,
refaço-me de argila, me esculpindo com farpas.

Tudo por amor, raiva, ódio, rancor.
Seu beijo é meu pavor,
louco apaixonado eu sou;
“repleto de dor, excitante calor.”

O diabo me espera, pois te desejo,
desejo seu corpo, desejo tocar seus seios.
Deus não me nega, mas não se revela,
sinto vergonha quando rezo, e acendo uma vela...

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sonho de borboleta

Encasulado estou em meus sonhos.
esperando para despertar de meu sono,
a hora certa irá de chegar;
“Bater asas e voar.”

Despertar para um mundo maravilhoso,
onde amarei sentir o gosto;
gosto do beijo, gosto do desejo,
ansioso para sentir o vento.

“Bater asas até cansar,”
aterrissar e depois repousar.
Despertar de meus sonhos para ainda sonhar,
encontrar um par, para poder amar.

Voaremos juntos para ver o mar.
Deitaremos na areia da praia só para ver a luar chegar.
A lua vai namorar as estrelas até novamente o sol raia;
“ah”, como estou ansioso para este dia chegar...

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Entre espadas, penas e tinta fresca...









Por segundos meus tormentos se foram,
em certos momentos tive que engolir meu choro.
Troquei minha espada, por uma pena e tinta fresca;
para criar meu ultimo poema,
desfrutar do mundo, e suas lindas belezas.
Cativa-me sua pura indecência,
com olhos de criança ainda enxergo pureza.
Escravo do amor alforriado,
completamente forro do pecado.
Atormentai os loucos emancipados;
os quais têm idade para compreender,
a gravidade de seus atos;
atos que se tornam fatos,
carregai os fardos, para desembaraçar os balaios de gato.
Armadilha que prendeu o rato se tornou inspiração,
para um poeta alucinado.
Paraíso do pecado despenque em meus braços;
faça-me sentir desejado, retoque o quadro mal pintado,
de desenhos sem formatos.
O ultimo poema;
é o inicio do dilema, entre rochas e duras madeiras.
Amores e tristezas, palavras se tornam sentenças,
sentenças que definem um poema.
Pensamento em devaneio, sonhos criados com o tempo;
termino meu ultimo poema me debruçando em lamentos... 




Obs: "Poema feito para a (NOP) texto baseado na obra ( O ultimo poema ) em homenagem a Manuel Bandeira."

Meu recanto

Eu sou uma aberração criada pela sociedade.
Detesto ser mais um no meio do tumulto,
odeio as coisas pelas quais me deslumbro.
Criei um recanto no meu submundo,
recanto onde expresso meu ódio, minha dor;
 “onde expresso meu amor.”

O amor me trás raiva, por não ser aceito com sinceridade,
o amor briga com meu ódio todos os dias somente por vaidade.
Fico alegre quando os sentimentos dentro de mim fazem as pazes;
não sou bom em sorrir falsamente, não consigo enganar minha mente,
não aceito me deslumbrar facilmente.

Ilusão criada por espelhos;
Na verdade são pedaços de espelhos,
 sete anos de azar, de angustias e sofrimentos.
Minhas costas não agüentam mais o peso,
peso de uma rocha de sonhos e pesadelos.
Sinto-me em total desespero, acho que já me acostumei;
pois me sinto excitado, estranho sentimento de embriaguez.
Que sejam lançadas as criticas sobre mim;
que o mundo caia em meu recanto, mas me deixem pelo menos ser feliz.
Felicidade foi o que eu sempre quis.
 Paixão avassalante pelo sofrimento; deixo-te ir.
Ir para onde quiser ir, que tal para alma de outra pessoa infeliz?

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

alívio

Sentindo o alívio da pureza
Firmando em rimas verdadeiras
Adoração por tua presença
Que esse alívio permaneça.

Então talvez esse amor prevaleça
Relembrando as rimas loucas de Alceu Valença
Minha cabeça gira em torno de poemas
Beirando a beira, rios de lágrimas se formam sem tua presença.

Saborosa torta amorosa
Feita com carinho, feita no coração
Nunca mais derramarei lágrimas pela solidão
Quero que ela saia do meu coração

Sentirei alívio e devoção
A felicidade reinará, a tristeza irá se dissipar
Nunca mais chorarei por não ser capaz
Sentirei alívio aguardando minha sentença de morte chegar.

Obs: poema feito para a (NOP). 1°Desafio da Roda de Improviso

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Adeus...

Cansei de ser o que sou,
 revoltado com o mundo estou.
Não quero mais agradar,
não quero mais amar.
Cansei de chorar e me lamentar,
tristonho pelos cantos a sussurrar;
lamentando meu bem estar.
Então tristeza que tu descanse em paz,
não venha mais me visitar, não quero mais chorar.
Admito sou emotivo;
mas isso não quer dizer que tenho que sofrer ao exílio.
Sofrimento agoniado te deixo de lado;
não quero mais seus abraços apertados,
nem seus beijos molhados.
Desisti de você, e me casei com a felicidade,
com o testemunho da senhora verdade,
meus padrinhos; “ a vitória e a coragem.”
Eu sei, chorarei ainda;
a diferença é que chorarei ao lado da senhora felicidade.
E contando com o apoio dos meus padrinhos, a vitória e a coragem,
caminharei certo, o amor vai surgir novamente;
“em forma de outono e inverno.”
Então tristeza, te digo uma coisa; 
de você simplesmente me despeço...